Primeiro para Mobile depois para Desktop?


Mobile-Firt

A ideia de criação de site para dispositivos móveis e depois para desktop e notebook, já vem sendo bastante utilizada por muitos designers. Esta ideia é chamada de Mobile First, ou seja primeiro se planeja toda a arquitetura e design de um site para smartphones e tablets e depois que tudo esta funcionando perfeitamente passa o desenvolvimento para desktop e notebook.

Esta técnica esta sendo bem aceita devido ao grande crescimento dos dispositivos moveis e a forma como as pessoas utilizam essas tecnologias quando estão fora do ambiente de trabalho, encontrei uma frase no blog Arquitetura de Informação que diz assim:

“Não construa um aplicativo baseado em seu site. Construa um aplicativo que funcione como se websites nunca tivessem existido. Construa um app para pessoas que nunca usaram um computador desktop na vida. Porque elas estão chegando. Muito em breve.”

A frase apesar de falar de aplicativos, o trecho que diz “Construa um app para pessoas que nunca usaram um computador desktop na vida.” também pode ser aplicadas para sites, trocando app por site.

Realmente Mobile First é bem interessante, pois quando desenvolvemos pensando em dispositivos móveis reduzimos drasticamente informações desnecessárias ou elementos de design que não fazem sentido para o usuário. Mas agora voltemos ao titulo deste artigo:

“Primeiro para Mobile depois para Desktop?”

Como tudo é relativo segundo o cientista Albert Einstein, utilizar esta técnica se torna relativa, pesquisando em vários fóruns percebi que isso tornou se base de discussões, apesar de muitos designers aprovarem a ideia, muitos a contestam. Cada projeto é individual e tem suas particularidades, publico alvo e expectativas, um outro fator o seu site é mais visitado por qual dispositivo atualmente? Já analisei diversos sites, através do Google Analytics e nunca vi um site ter mais acesso por dispositivos moveis do que por desktop, na verdade a porcentagem é bem pequena.

Na verdade não podemos pensar em Mobile First sempre, é preciso fazer perguntas antes de começar com essa ideia.

As perguntas são bem simples mais bem objetivas:

Qual o publico alvo?

A idade, qual a profissão deste publico, quais são seus hábitos, qual sua classe econômica,  tudo isso interfere na hora de pensar em fazer primeiro para mobile e depois passar isso para o desktop, as vezes esse publico que você quer atingir até possui um smartphone  mas não tem condição para manter um plano de internet  3G, e seria um desperdiço deixar de fazer um site a qual iria chamar atenção desse publico para fazer algo mais simples  e  eficiente para mobile.

As pessoas utilizaram este site no trabalho, na rua, ou em casa?

Quando estamos trabalhando seja em desktop ou notebook, acessamos sites de interesse pessoal e sites de pesquisa para o trabalho que estamos executamos através do computador, não paramos o que estamos fazendo abrimos a nossa tablet ou smartphone e começamos a fazer as pesquisas, na rua e em casa já é diferente, pesquisas mostram que as pessoas deixam de ligar seus computadores pessoais e utilizam da mobilidade para navegar na internet.

É um hotsite? ou é um site de muita informação?

Imagine fazer um hotsite para divulgação de um produto, onde tudo é quadrado na vertical e com linhas dividindo os tópicos, não é muito interessante, então no caso Mobile First não se aplica, acho que seria bem mais interessante  fazer ao contrario, principalmente por ser um site, mais visual. E um site de muita informação, é difícil de pensar, como poderia ter uma navegação semelhante, as vezes esse site é mais utilizado no dia dia, e a navegação em dispositivos móveis talvez seja melhor através de aplicativos, como no caso da rede social Facebook.

Essas são apenas algumas questões que eu levantei, com certeza existem muitas outras perguntas que devem ser feitas.

Pensar em projetar primeiro para mobile depois para desktop, deve ser  discutido caso a caso, toda regra tem sua exceção e o mesmo se aplica a esta técnica, independe se o site ira ser responsivo ou se existira duas interfaces diferentes.

E você o que acha? Não há exceção? Será uma regra para o futuro?





Artigos Relacionados


Designer de Interface pós graduado em Arquitetura da Informação. UI/UX Designer e Front-end Developer, atualmente atendo empresas como freelancer e sou colaborador em uma agência de comunicação onde desenvolvo interfaces criativas com foco na experiência do usuário. Organizador por natureza acredito que o caos é a matéria-prima necessária.

Deixe o seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Você pode usar HTML tags e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>